Gana deve investir 1% de suas reservas em Bitcoin: Segundo Vice-Presidente banco central.

Noticias Variedade

Vice-Presidente do Grupo Nduom pediu para que o Banco Central de Gana invista 1% de suas reservas em bitcoin.

De acordo com a Accra Joy Business, Papa-Wassa, Chiefy Nduom – vice-presidente do Grupo Ndoum – disse que o Bitcoin teve um aumento tão significativo que os bancos centrais não podem mais ignorar seu uso como um bem de reserva global.

Citando relatórios que prevêem que o dólar norte-americano recuou em relação a outras moedas de reserva em 2018, Nduom disse que os bancos centrais africanos, como o Ghana, deveriam considerar a compra de uma pequena quantidade de Bitcoin, enquanto ele está em um ponto baixo em relação à alta de todos os tempos que foi estabelecida em meados de dezembro.

“Eu não acho que é uma aposta, acho que todo investimento é uma aposta, sair de sua cama pela manhã é uma aposta. Se você está completamente preocupado com o risco de não fazer nada … em termos de gerenciamento de reservas, há potencialmente um novo ativo de reserva e, como banco central, você precisa estudar o blockchain “, disse ele.

Ele disse que os banqueiros não deveriam considerá isso “irracional” para comprar bitcoin nesta conjuntura, especialmente considerando que seu preço quase certamente valorizaria, uma vez que as novidades de que um banco central estava adquirindo cryptomoeda.

                                                     “África continua ficando para trás”

Ndoum, que disse que se interessou pela primeira vez por bitcoin em 2013, acrescentou em uma postagem de blog que, se os países africanos não abraçassem o bitcoin em breve, o continente poderia ficar atrasado quando ao mundo que sofre outra revolução tecnológica.

“Os  Bitcoin estão em todo o mundo, mas a África é um ponto negro muito conspícuo. A África continua ficando para trás. Não apenas a África, a África e as diásporas criadas como resultado da migração econômica e do comércio de escravos transatlânticos “, escreveu ele. “Politicamente, eu me sinto como se as escalas econômicas não fossem equilibradas em breve, quando o sol se apaga, as pessoas com uma grande porção de melanina em sua pele estarão grosseiramente sub-representadas na nave espacial “.

Por outro lado, ele disse que se a África abraçasse o bitcoin, poderia unificar o continente em torno de um recurso de reserva digital que os países poderiam alavancar para financiar o desenvolvimento de infraestrutura e aliviar a pobreza.

Como um benefício adicional, ele escreveu, investir em ativos publicamente verificáveis, como o bitcoin, daria ao público maior capacidade de monitorar as reservas do governo, impedindo as administrações de ocultar déficits orçamentários, como aconteceu recentemente em Gana – no valor de US$ 1,6 bilhão.

“Eu acho que eles (bancos centrais) provavelmente são as melhores entidades  posicionados para fazer uma aposta inicial nesta tecnologia porque é o futuro do valor e da banca e, como mencionei, muitos investidores proeminentes estão apoiando essa tecnologia e nós como um país pobre não podemos arriscar sendo deixado de fora nisso novamente “, concluiu.

 

 

 

 

Fonte: Ccn

 

Deixe seu cometário